Translate

sábado, outubro 12, 2013

UNILEVER VÔLEI VENCE E ESTÁ NA FINAL DO MUNDIAL DE CLUBES

As meninas do Unilever farão a final em uma partida
revanche contra o VakifBank (Foto: Marcio Rodrigues/MPIX)
O fator casa não pesou para o Unilever Vôlei na semifinal do Mundial de clubes, na Suíça. Diante do Volero Zurich, o time comandado por Bernardinho impôs seu jogo, venceu por 3 sets a 0 (25/23, 25/20 e 25/16) e garantiu um lugar na decisão da competição, diante do VakifBank Istanbul, que venceu o Evergrande, da China, na outra semi. A final será disputada às 12h (horário de Brasília).

 

Melhor de uma gripe que está a acompanhando há pelo menos uma semana, Fofão esteve em quadra desde os minutos iniciais e pode ajudar o Unilever Vôlei a conquistar uma vaga na decisão. Lugar onde a levantadora já esteve, em 2010, quando atuava com o Fenerbahce e levou o título.

 

“Realmente ainda estou me recuperando, mas era importantíssimo estar em quadra hoje. Estava com muita vontade de jogar, apesar de não estar 100%. Agora tenho que me recuperar para amanhã. Enfrentaremos um time forte, com atacantes acostumadas a decidir. Nossa maior preocupação é com isso. Temos que tentar mudar o que foi feito no primeiro jogo contra eles. Cometemos muitos erros, mas quando igualamos, eles também erraram”, disse Fofão.

 

Mostrando a regularidade da última temporada, a oposto Sarah Pavan foi outro destaque do confronto. Com 18 acertos, a canadense foi a maior pontuadora do confronto deste sábado e espera repetir a boa atuação na decisão, diante do time turco.

 

“Será um jogo duro, bem difícil. O VakifBank é um time muito consistente, que sabe controlar a partida. Além de serem fortes no ataque e no bloqueio. Vai ser um desafio grande, mas estamos melhores. Evoluímos já no jogo de hoje e podemos vencer amanhã”, analisou Sarah.

 

Feliz com o resultado e com a melhora da equipe, Bernardinho não esconde que ainda espera um Unilever Volei menos inconstante na decisão do Mundial de clubes. De acordo com ele, somente assim poderá superar o forte time do VakifBank Istanbul.

 

“Continuamos apresentando altos e baixos. Tivemos apenas uma semana de treinamentos com o time completo, perdemos a Fofão, que retornou apenas hoje à equipe... Esse conjunto de fatores fez com que tivéssemos esses altos e baixos. Fomos melhores hoje, mas para ganharmos amanhã precisamos ser mais consistentes. Começamos bem contra o Volero, mas logo em seguida tivemos uma sequência de erros. Precisamos eliminar isso. A equipe precisa entrar em quadra mais tranquila para fazer uma partida digna do seu potencial. Temos que usar o entusiasmo à nosso favor”, afirmou Bernardinho, sem deixar de analisar o adversário da decisão do Mundial.

 

“O VakifBank possui uma excelente levantadora e muitas opções de ataque. Se destaca a Brankocevic, mas tem outras grandes jogadoras e a levantadora coloca todas elas no jogo. O volume de jogo deles também é melhor do que o Volero Zurich, nosso adversário das semifinais. Na partida da chave onde nos enfrentamos, tivemos chances de igualar o jogo, empatar e até passar à frente. Com excedemos nossos erros e ainda enfrentávamos um time confiante, com vantagem no placar. Precisamos manter a tensão sobre eles. Assim eles se tornam mais vulneráveis”.

 

O JOGO


 

No primeiro set, o Unilever Vôlei conseguiu abrir uma pequena vantagem incial, mas logo o Volero Zurich igualou o jogo e assumiu a ponta do marcador. Com uma boa recepção, o time suíço foi seguido de perto pelo brasileiro até o 20º ponto, quando Sarah Pavan, numa bola de xeque, fez 21/10. A partir daí, a equipe carioca dominou e fechou, numa china de Juciely: 25/23.

 

A segunda parcial também foi pautada pelo equilíbrio. Ao menos até pouco depois da primeira parada técnica. Quando o placar marcava 10/9 para o Unilever Vôlei, Mihajlovic emplacou uma boa sequência de saques, aumentando a vantagem para 13/9. O bloqueio brasileiro, que já funcionava melhor que nas partidas anteriores, apareceu de vez no jogo e não teve como o Volero Zurich reagir: 25/20

 

No terceiro set, as duas equipes trocaram pontos, mantiveram o equilíbrio até pouco depois do primeiro tempo técnico. Com uma boa sequencia de saque da meio de rede Carol e com Sarah Pavan em dia inspirado, o Unilever Vôlei conseguiu abrir vantagem de cinco pontos: 13/8. A partir daí, o time brasileiro aumentou o ritmo até fechar em 25/16. 

 


 

CONFIRA A TABELA DO MUNDIAL DE CLUBES

 

GRUPO B

09/10 – UNILEVER VÔLEI 3 X 0 IOWA ICE (EUA)

11/10 – UNILEVER VÔLEI 1 X 3 VAKIFBANK INSTANBUL (TUR)

 

SEMIFINAL

12/10 – UNILEVER VÔLEI 3 X 0 VOLERO ZURICH (SUI)

 

FINAL

13/10 – 12h (horário de Brasília) - UNILEVER VÔLEI X VAKIFBANK ISTANBUL (TUR)