Translate

quarta-feira, março 04, 2015

Conheça a carreira de Léo Moura. Lateral se despede hoje do Flamengo com partida festiva no Maracanã



Bruno Avilla
Rio de Janeiro


Fã desde menino com Zico
(Foto: reprodução de internet)
Hoje é o dia tão temido para uma grande parte de flamenguistas, a despedida de Leonardo da Silva Moura ou  mais conhecido como Léo Moura.

Léo Moura, começou sua carreira jogando nas categorias de base do Linhares Esporte Clube no Espírito Santo e depois se transferiu para as categorias de base do Botafogo, time ao qual ele jogou contra em sua última partida oficial com a camisa do Flamengo. Quando ainda atuava no meio-campo, curiosamente, ele que mais tarde viria a se tornar ídolo da torcida rubro-negra, em sua infância, fora rejeitado pelo Flamengo e, com isso, acabou indo parar na escolinha do Botafogo.





FUTEBOL EUROPEU

Antes de se profissionalizar pelo Botafogo, Léo Moura foi negociado com o Germinal
Beer-BEL, do futebol belga, onde não teve uma boa experiência devido a falta de sequencia e oportunidades, ao finalizar o campeonato, uma temporada mais tarde, seguiu para o ADO Den Haag-HOL, time holandês, no qual teve sua primeira experiência como ala, isso lá pelo ano de 2000 e que teve uma participação maior com mais aparições e oportunidades.

Léo Moura no Germinal Beer
Foto: Reprodução de internet
Passagem no Den Haag foi um pouco melhor
Foto: Reprodução de internet

LATERAL DIREITA
No segundo semestre de 2001, Léo, retornou ao Botafogo e disputou o Campeonato
Passagem que revelou Leonardo Moura ao futebol brasileiro
Foto: Reprodução de Internet

Brasileiro, vindo ocupar uma vaga no meio-campo. Contudo, uma lesão, próximo a sua estreia fez com que ele perdesse sua posição no time e, com isso, no decorrer do campeonato, acabou retornando à equipe titular, jogando na lateral-direita.

Seu bom desempenho, como lateral, enfim parecia ter resolvido o problema do Botafogo naquela posição, carente de um bom jogador desde que César Prates havia deixado o clube em 1999. Todavia, no ano seguinte, Léo Moura surpreendeu a todos, ao não renovar seu contrato com o Botafogo e transferir-se para o Vasco da Gama.
 



VASCO DA GAMA

Léo Moura no Vasco mostrou sua
arma nas jogadas de linha de fundo
Foto: Reprodução de internet
No Vasco, entrosou-se perfeitamente com a dupla de atacantes, formada por Romário e Euller, era ele um grande trunfo em jogadas que ficaram característica em sua carreira, as chegadas na linha de fundo.
Contudo, apesar de seu ótimo rendimento no time, em meados de 2002, decidiu trocar o Vasco pelo Palmeiras.
Mais tarde, o próprio Léo Moura viria a confessar ter se arrependido desta transferência, que o havia colocado na fatídica equipe palmeirense rebaixada para a 2ª divisão.




SURGIMENTO DO NOME LEONARDO MOURA

Léo foi muito contestado em sua
passagem pelo São Paulo
Foto: Reprodução de internet
Em 2003, uma nova transferência, desta vez ele foi parar no São Paulo e, como já havia um outro Leonardo neste time, ele então
decidiu que iria mudar seu nome e ser chamado de Leonardo Moura. Léo era pouco aproveitado no São Paulo, onde tentou ser lateral e meio campo sem sucesso e após atuações decepcionantes ele decidiu voltar ao Rio de Janeiro.







PASSAGEM NO FLUMINENSE

Léo Moura decidiu retornar ao futebol carioca e voltar a atuar ao lado de Romário. Desta vez, porém, os dois vestiam a camisa do Fluminense.
No Tricolor Carioca, ele deu a volta por cima e, após excelentes atuações,
Leo reeditou a parceria com Romário no Flu
Foto: Reprodução de internet
acabou virando o xodó da torcida.

Em seguida, devido ao grande sucesso  e destaque Léo, transferiu-se para Portugal, mais precisamente no Sporting Braga, de Portugal, no entanto foi apenas ma breve passagem e logo ele voltou ao futebol brasileiro, na ocasião ele acertou com o Flamengo,seu clube do coração.










FLAMENGO

Em sua grande e vitoriosa e cheia de controversas passagem pelo Flamengo, logo que chegou ao Fla, Léo garantiu a titularidade e veio, desde então, aos poucos construindo até tornar-se definitivamente ídolo dos  flamenguistas, participando ativamente de diversos títulos importantes que o clube conquistou, incluindo a Copa do Brasil de 2006, o Brasileirão de 2009 e a Copa do Brasil de 2013.



Em 2 de agosto de 2009, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro contra o Náutico no Maracanã, causou um grande mal-estar com a torcida rubro-negra. O Flamengo ia perdendo a partida por 1–0 para o então lanterna do campeonato, quando aos 36 minutos do segundo tempo o lateral fez o gol de empate. O jogador, até então incomodado com as vaias que recebera durante todo o jogo, não comemorou o gol e resolveu proferir impropérios (palavrões) à torcida rubro-negra, como forma de protesto e desabafo pelas vaias que vinha recebendo. Algum tempo depois ele deu uma entrevista pedindo desculpas a torcida flamenguista pelo ocorrido.

Somente aos 28 anos, o lateral conquistou seu primeiro título a carreira, não poderia ser melhor senão conquistar pelo clube de coração, trava-se da Copa do Brasil de 2006. Foi uma coroação para o bom trabalho feito no ano anterior e apenas o início de uma história com a camisa do Flamengo, que se consolidaria ainda mais nos anos seguintes.

Antes de entrar em campo em 2006
Foto: Reprodução de internet
Em 2007, 2008 e 2009 foi um dos principais personagens da conquista do tricampeonato estadual, sempre marcando em várias ocasiões. No ano de 2007, ele era cotado como uma dos principais esperança do time na Copa Libertadores da América, mas o time foi eliminado ainda nas oitavas de final, mas no Brasileirão ele foi fundamental na arrancada do Flamengo, tirando o time da zona do rebaixamento, levando para o terceiro lugar da competição, garantindo a vaga da Libertadores no ano seguinte.

Em 2008, o Flamengo foi novamente eliminado nas oitavas de final da Libertadores e não conseguiu se classificar para a competição do ano seguinte terminado o Campeonato Brasileiro em quinto lugar, sempre com grandes atuações do lateral. No Brasileirão de 2009, teve grandes atuações e foi um dos pilares da conquista do título brasileiro, escrevendo definitivamente seu nome da história do clube. Na temporada seguinte, ultrapassou a marca de 300 jogos pelo Fla e continuou, firme e forte, dono da posição. Em 2010, na estreia do Flamengo na Libertadores, contra o Universidad Católica, perdeu um jogador logo no começo do jogo.

Em uma falta do lado esquerdo, bateu uma falta com perfeição, abrindo o placar ainda no primeiro tempo, e ainda no segundo tempo em um contra-ataque, partiu com a bola e com um belo toque deixou Adriano na cara do gol para fechar o placar, sendo o jogo mais lembrado pelo jogador até hoje. No Campeonato Brasileiro de 2010, o Flamengo ficou apenas em 14º lugar, escapando da possibilidade de ser rebaixado no fim do Campeonato, assim como toda equipe, o jogador não teve grande atuações, fazendo apenas um gol durante toda competição. No inicio de 2011, voltou a exibir seu grande futebol que o consagrou, conquistando mais uma vez o Carioca, sendo mais uma vez o melhor lateral direito da competição.


Jogando pela Copa do Brasil 2013, onde sagrou-se campeão
Foto: Reprodução de internet
No Campeonato Brasileiro, o lateral teve uma campanha regular e conseguiu classificar o Flamengo para a Libertadores pela quarta vez em sua passagem pelo o clube com a presença de Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves no clube. Em 2012, começou bem a temporada marcando gols na Libertadores, porém a equipe rubro-negra não conseguiu avançar para a segunda fase da competição.

Em 2 de janeiro de 2013, depois de longa novela em torno de sua renovação com o Flamengo, novela esta que aproximou o jogador ao recém-promovido à Série A Goiás, fechou por mais um ano com o clube. O lateral, entretanto, teve de aceitar uma redução de seus vencimentos. Depois de um ano e meio sem marcar gols, voltou a marcar na vitória de 2 a 1 contra o Santos, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro.



MARCAS DA CARREIRA

A convocação foi para uma partida
amistosa em 2008
Foto: Reprodução de internet
Jogando pelo Flamengo, ele conseguiu uma convocação para a seleção brasileira.

Em 6 de outubro de 2013, chegou a marca de 450 jogos com a camisa do Flamengo no clássico contra o Vasco da Gama, que acabou terminando no empate por 1 a 1, em partida válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.
Em 22 de fevereiro de 2014, entrou no Top 10 de jogadores que mais vestiram a camisa Rubro-Negra atingindo a marca de 468 jogos e chegando a 10ª posição, ultrapassando o ex-meia Zinho. No jogo, o Flamengo venceu o Resende por 3–0. No terceiro gol, foi ele quem começou a jogada após um lençol no marcador.

Em 4 de outubro de 2014, atingiu a marca de 500 jogos pelo Flamengo em partida entre o Flamengo e o Santos no Maracanã, válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. O rubro-negro foi derrotado por 1–0, gol de Robinho. Leo Moura, renovou com o Flamengo até o final do Campeonato Carioca de 2015, não conseguiu cumprir todo o contrato, mas cumpriu um dos grandes sonhos: Ser ídolo de seu clube de coração, ser ídolo da Nação Rubro Negra.