Translate

sexta-feira, julho 12, 2013

De olho no calendário das maratonas cariocas, Corrida do Cristo oferece paz, natureza e muita saúde


Os corredores percorrem um trajeto de 16km próximo da fauna e flora,
 além do monumento mais conhecido do
Brasil (Foto: Divulgação/MGInpress)

Que tal conhecer um dos pontos turísticos mais famosos do mundo e ainda correr ao lado de amigos e familiares? Pois bem se este é o seu sonho, saiba que ele pode ser realizado no próximo dia 14 de julho. Quando acontece a segunda edição da Corrida do Cristo, onde cerca de mil atletas realizarão uma prova de 16 km que passa por alguns dos pontos mais belos e históricos do Rio de Janeiro. O slogan da prova não podia ser melhor: “Uma das Maravilhas do Rio”. 

No percurso, os atletas passam por mais de 230 espécies de animais e das aves que vivem dentro do Parque Nacional da Tijuca, entre elas, o beija-flor e o sabiá. 
Essa competição é diferenciada por deixa o lugar comum da orla carioca e sobir a serra, em um trajeto todo pelas montanhas, no interior da floresta, revelando as belezas do Alto da Boa Vista e do Corcovado. Para os atletas será uma experiência sem igual já que entram em contato direto com a história da cidade. Os corredores cruzarão a Capela Mayrink, a Praça do Alto (Afonso Vizeu) , os Mirantes, o Colégio Santa Marcelina, o Museu do Açude , o Açude da Solidão e o tradicional Hotel Paineiras, que serviu de concentração para Seleção Brasileira de Futebol nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 1970. Um dos porta-vozes da prova, Robson Caetano falou sobre a experiência e as dificuldades de se correr provas fora do local habitual de maratonas.


Robson Caetano é um dos porta-vozes do evento
(Foto: Divulgação/MGInpress)
- Procuramos sair do tradicional e dar ao atleta a oportunidade de correr em um lugar exótico e bonito. O mais interessante é que o participante vai correr diretamente para o Cristo Redentor, um dos pontos mais belos do país. Ficamos felizes de poder oferecer algo diferente. Em pouco tempo, a Corrida do Cristo será uma prova clássica do atletismo brasileiro - disse Robson Caetano




O medalhista olímpico de Seul e atual recordista sul-americano da prova de 100 m rasos comentou o fato das corridas serem cheias de descidas e de suas dificuldades.


Os atletas passarão por subidas e descidas
durante o trajeto da prova (Foto: Divulgação/MGInpress)
- Os que conseguirem completar a prova terão uma grande vitória, mas será necessário muito preparo, treinamento e cabeça focada. Sempre digo que as descidas são as partes mais complicadas, pois o peso do corredor recai todo sobre os joelhos - Completou o ex-atleta