Translate

domingo, fevereiro 23, 2014

Nadal vence com dificuldades e enfrenta Dolgopolov na Final do Rio Open

Nadal salvou 2 match points e perdeu
um set.(Foto: Bruno Avilla)
O espanhol Rafael Nadal teve de salvar dois match points, e superar um adversário inspirado para garantir um lugar na final do Rio Open.  O líder do ranking mundial e 13 vezes campeão de torneios Grand Slams sofreu por 2h46 para derrotar, de virada, o compatriota Pablo Andujar, 40º, por 2 sets a 1, com parciais de 2/6, 6/3 e 7/6 (12-10), na noite deste sábado, numa quadra central lotada do Jockey Club Brasileiro. Neste domingo, às 17h, buscará seu 62º título da carreira contra o  ucraniano Alexandr Dolgopolov, 54º, que surpreendeu o cabeça de chave nº 2, o espanhol David Ferrer, por 2 sets a 0, com um duplo 6/4. O evento no Rio é o maior da modalidade na América do Sul por reunir simultaneamente um ATP 500, com premiação total de US$ 1.309.707, e uma etapa de WTA Internacional de US$ 250 mil.



 Andujar, dono de dois títulos de ATP na carreira, estava em um dia inspirado, obrigando Nadal a recorrer a seus melhores golpes. No tie-break,  teve chances de fechar a partida duas vezes, mas desperdiçou. Nadal, em sua quarta tentativa, conseguiu a vitória.  "Não joguei bem, senti que me faltava um pouco de energia, talvez por causa da umidade. O tie-break é uma loteria e acabei sendo melhor do que ele", avaliou Nadal, que voltou a jogar no Rio de Janeiro, depois de passar algumas semanas se recuperando de um problema nas costas.



O desempenho de Andujar foi tão incrível aponto de os torcedores gritarem seu nome também. "Foi um dos melhores jogos da minha vida, talvez o melhor. Pena que perdi as duas chances que tive para fechar. Foi muito especial ver a torcida gritando meu nome", disse o jogador de 28 anos.



Embora tenha um retrospecto favorável contra Dolgopolov - quatro vitórias em quatro jogos, a última no Masters 1000 de Madri em 2010 -, Nadal espera outro confronto duro contra o ucraniano. O 54º do mundo chegou à final vencendo três cabeças de chave, Ferrer (2º), o italiano Fabio Fognini (3º), e o espanhol Nicolas Almagro (5º). "Ele é agressivo, tem golpes fantásticos. Tenho que jogar melhor do que hoje, caso contrário, não vou ganhar", acrescentou.



Nesta temporada, Nadal foi vice-campeão do Australian Open e venceu em Doha. O ucraniano, ex-número 13 e que tem dois títulos no currículo, alcançou as quartas de final em Sydney e Buenos Aires. Contra Ferrer, de quem tinha perdido sete vezes em oito jogos, o jogador de 25 anos não se intimidou. Fez um jogo ousado, arriscou e, quando precisou, foipaciente. Campeão do ATP de Buenos Aires, na semana passada, Ferrer reconheceu a superioridade do rival neste sábado. "Ele jogou fantasticamente e me surpreendeu, teve o controle do jogo, e eu errei muito".



O ucraniano, classificado para sua sexta final na carreira, está animado com o bom momento. "Venho jogando bem nos últimos meses, e espero continuar melhorando. Tinha jogado com Ferrer várias vezes e sabia que podia vencê-lo. Estou feliz por ter conseguido", disse.