Translate

sábado, fevereiro 22, 2014

Zakopalova derrota Teliana e encara japonesa na final do Rio Open

Teliana joga bem, mas é superada na semi após
bela campenha no RJ(Foto:
Rio Open/Fotojump)
A brasileira Teliana Pereira chegou perto de conquistar mais um histórico resultado para o tênis feminino do país, mas parou na tcheca Klara Zakopalova. A cabeça de chave número 1 do Rio Open derrotou Teliana, 98ª, neste sábado, por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/1, e disputará a final do maior evento de tênis da América do Sul contra a japonesa Karumi Nara, favorita nº 5, que passou pela qualifier italiana Nastassja Burnett por 6/4, 3/6 e 6/2. A decisão do título será neste domingo, às 14h. O Brasil não tem uma representante em uma final de torneio WTA Internacional desde 1988, quando Niege Dias conquistou o troféu em Barcelona.

Teliana teve dificuldades para repetir o desempenho dos jogos anteriores. No início, tanto ela como Zakopalova começaram perdendo seus games de saque. Depois de uma sequência de quebras, a tcheca conseguiu confirmar o serviço e se manteve à frente para fechar por 6/2. No segundo, a brasileira saiu na frente, mas não encontrou uma maneira de superar o jogo mais consistente da favorita ao título, que fechou com um 6/1.

Aos 31 anos, Zakopalova já foi top 20, em abril do ano passado, e tem dois títulos de WTA no currículo, ambos conquistados em 2005. A decisão no Rio é a segunda de simples na temporada - foi vice-campeã em Hobart, na Austrália. A tcheca também tem dois títulos de duplas em 2014, em Hobart e Shenzhen.

Apesar da frustração com a derrota, Teliana comemorou a boa semana no Rio. Foi a segunda vez que ela disputou uma semifinal de WTA - a outra, no ano passado, em Bogotá. "Ela está em um nível acima, toda vez que eu tinha uma chance no jogo, ela vinha para cima. Queria ter jogado melhor, mas não quero que essa derrota estrague a semana maravilhosa que tive aqui. Eu estava com receio de jogar em casa, não me sentia à vontade, mas agora estou apaixonada em jogar no Brasil ", disse.

A pernambucana de 25 anos, única tenista do país entre homens e mulheres a entrar direto na chave principal do Rio Open, tem conquistado bons resultados no circuito desde o ano passado. A semifinal em Bogotá foi a primeira de uma brasileira desde 1990. Nesta temporada, foi a primeira tenista do país a disputar um Grand Slam - Australian Open - desde Andrea Vieira, que jogou o US Open de 1993. Além disso, Teliana liderou a seleção feminina na classificação do Brasil aos playoffs do Grupo Mundial II da Fed Cup, resultado que não ocorria há dez anos. "Meu objetivo neste ano é jogar todos os Grand Slams e terminar a temporada entre as 70, 50 do mundo, mas antes quero sentir para mim mesma que estou jogando melhor. Tenho muita coisa para melhorar, ter um saque mais potente, ficar mais forte. Depois da semifinal em Bogotá e com o resultado aqui a confiança aumentou. Entrei neste torneio pequenininha e estou saindo grande", completou Teliana, que tem como melhor ranking a 87ª posição, alcançada em outubro do ano passado.

A experiente Zakopalova enfrentará na decisão a jovem Nara, de 22 anos. Será o primeiro jogo entre as duas e a primeira final de WTA da japonesa, atual 62ª do mundo. Neste ano, Nara chegou às quartas de final em Auckland e à terceira rodada no Australian Open. Já a tcheca tem como melhores resultados em Grand Slams as oitavas em Roland Garros 2012 e Wimbledon 2010, além de vitórias sobre tenistas top 10, como a norte-americana Serena Willians e a chinesa Na Li.

Favorita ao título, Zakopalova saiu satisfeita do confronto contra Teliana. "Acho que foi meu melhor jogo no torneio. Foi 6/2, 6/1, mas não foi uma partida fácil. Ela (Teliana) jogou muito bem toda a competição, é uma lutadora, e tem muito futuro", disse a tcheca, que revelou sentir um pouco de pressão por ser a cabeça de chave número 1 no Rio "Eu nunca tinha sido cabeça 1 em um torneio".

Pela primeira vez numa final de WTA, Nara espera controlar os nervos na decisão. "Estou surpresa, nem acredito que vou jogar a final amanhã. Acho que estarei nervosa, então preciso me concentrar nos meus pontos".