Translate

sexta-feira, maio 16, 2014

Fenapaf anuncia ação judicial contra FIFA por mudança de horários dos jogos da Copa do Mundo

(Foto: Divulgação)
A Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf) anunciou na manhã desta sexta-feira (16 de maio), que entrará com uma ação judicial contra a FIFA na próxima segunda-feira (19) pedindo a mudança nos horários de jogos da Copa do Mundo no Brasil.

O presidente da entidade, Rinaldo Martorelli, explicou que procurou a FIFA desde 2012 para discutir o assunto, mas não obteve resposta.

“Baseado no estudo realizado pela Federação e coordenado pelo fisiologista Dr. Turíbio Leite chegamos à conclusão que os horários dos jogos das 13 e 15 horas nas cidades-sede das regiões norte, nordeste e centro-oeste são preocupantes e podem afetar a saúde do atleta. A Fenapaf representa os jogadores profissionais e não poderíamos deixar isso de lado. Desde 2012 estamos tentando discutir o assunto com a FIFA, que mesmo com o estudo em mãos, resolveu ignorar todas as informações”, afirmou.

“É a primeira vez no mundo que se fez um estudo completo como este. Medimos a temperatura interna do jogador durante uma partida de futebol nas mesmas condições que serão realizadas na Copa do Mundo. Em alguns atletas essa temperatura ultrapassou os 40 graus, o que pode causar lesões neurológicas levando ao coma ou até ao óbito. O ideal é não jogar nesses horários. O que também observamos é que a hidratação durante as partidas atenuam o problema da temperatura, mas não é o suficiente. Em alguns casos, jogadores continuaram com a temperatura interna acima dos 40 graus e alegaram mal estar”, explicou o Dr. Turíbio Leite.

Do ponto de vista jurídico, o advogado da entidade responsável pela ação, Dr. Eduardo Novaes, fala sobre o caso.

“A Justiça Brasileira tem plena condição de obrigar a FIFA a alterar os horários desses jogos, pois se trata de um problema trabalhista que deve ser resolvido nesse âmbito. A Constituição Brasileira não permite que um trabalhador corra risco em sua atividade”, disse Novaes.

A ação judicial será protocolada na segunda-feira e a decisão será de responsabilidade da Justiça Brasileira.