Translate

terça-feira, junho 10, 2014

Coletiva de imprensa reúne chefes de estados e segurança de eventos esportivos da FIFA e Comitê Organizador

Andrei Rodrigues e o general José Carlos De Nardi são
responsáveis pela segurança da Copa(Foto: Bruno Avilla)
Nesta terça a agenda de atividades à imprensa do Centro Aberto de Mídia (CAM) começou com uma entrevista coletiva com os chefes de estado, representantes de segurança da FIFA e do Comitê Organizador Local (COL) com experiência em segurança em mega eventos. O general José Carlos De Nardi deu uma breve explicação dos legados bélicos e estruturais do Brasil em virtude da Copa, além de resumidamente falar de alguns planos de ações em caso de ataques.

O Chefe de Segurança Extraordinária de Mega Eventos, Andrei Rodrigues, deu um panorama de diversos itens que compõem seus quesitos de avaliações operacionais, entre eles pesquisa em credenciamento e trabalho de prevenção antiterrorismo.
Já o Consultor de Segurança da FIFA para a Copa do Mundo, Andres Pruis, julgou como excelente a segurança para a Copa no Brasil.
Ronald e Hilário Medeiros: Os especialistas em segurança
que auxiliaram as forças armadas(Foto: Mírian de Sousa)
O Gerente Geral do Comitê Organizador Local, Hilário Mendes, comentou sobre os legados deixados na área de segurança depois de pesquisas na Copa da África do Sul, para Hilário Medeiros o treinamento de 20 mil homens em segurança privada de grandes eventos, além de formação de homens para Combate de incêndio e pânico são os legados mais importantes deixados pela Copa do Mundo na área de segurança.

Quando perguntado sobre a segurança das Fan Fest, o general José Carlos De Nardi foi incisivo ao afirmar que:
- A segurança das Fan Fest é questão de segurança pública, a atuação das Forças Armadas é somente nos estádios, senão iremos transformar o Rio de Janeiro em GLO (Quando as forças armadas agem para dar garantia à lei e a ordem) - enfatizou de Nardi.

Com um orçamento de mais de R$ 1 bilhão de reais, para a segurança pública das 12 sedes, fica claro perceber que o maior índice pesquisado de fatos relacionados a segurança proveem de responsabilidade das polícias, Isso explica o porque do orçamento das Forças Armadas terem sido somente de R$ 700 milhões.

Andres Pruis deu o aval no quesito
segurança para a Fifa(Foto: Mírian de Sousa)

Para a segurança marinha serão disponibilizados navios e fragatas nas enseadas de Natal, Fortaleza, Salvador e Rio de Janeiro.
Boa parte dos valores investidos foram para comprar equipamento não letal, apresentação de workshop a fim de difundir conhecimentos contra protestos, além de capacitação de 14 mil homens.

 No final Andrei Rodrigues afirmou que “O maior legado da Copa são as forças da segurança trabalharem em conjunto.”