Translate

quinta-feira, junho 26, 2014

Ministro de Assuntos Estratégicos apresenta dados e afirma que Brasil vive uma transformação profunda

Aurea Lucia
Fernanda Felix
Rio de Janeiro

Ministro mostrou otimismo com economia que
decolou suas estátisticas(Foto: Paulo Motta)
O Ministro Marcelo Neri, chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos, reuniu-se com os jornalistas na tarde desta quinta feira (26) e explicou a desigualdade per capita e a visão de longo prazo, além de questionamentos sobre novas transformações Brasileiras. Ele afirmou que houve queda na desigualdade e redução da pobreza; Para Marcelo Neri, é positivo o Brasil estar na zona intermediária, próximo do lema do governo federal, que é superar a extrema pobreza.
Assim como a Ministra Tereza Campello, Marcelo Neri fez elogios ao Bolsa Família, para ambos o programa é um coadjuvante da erradicação da extrema pobreza excelente, pois não gasta muitos recursos.
 - É mais social, pois vai diretamente a quem precisa, chegando facilmente ao  povo da classe E e gasta menos de meio por cento do PIB brasileiro.
 Baseado em estatísticas, ele apresentou o crescimento de 2012, afirmando que foi muito mais forte a renda per capita, até mesmo  que o PIB, tendo um crescimento inferior, o que para ele foi um ano sensacional.
A Copa do Mundo não é determinante para o crescimento do PIB
em países sedes, afirmou Marcelo Neri (Foto: Patrícia Nascimento)
De acordo com a matéria do Jornal Estadão de SP. A economia do México e Japão decaiu no ano do Mundial. Levando em conta esse histórico, isso pode acontecer também no Brasil? E já existe uma estratégia pronta para mitigar essa estatística?
 - Em anos de mundial o futebol e economia andam juntos, achando que não haja problemas, mesmo havendo muito feriados e demais gastos. Indicando que a copa é um ganho subjetivo. Até porque como já demonstrado em abril a renda cresceu 6,8% por pessoa, acima da inflação e o do brasileiro, 4.5%. Não vendo temor que a história volte a se repetir, como no México e Japão. Somente muitos ganhos o país irá ganhar.
Nas cidades sedes da Copa do Mundo, há uma estagnação pequena no mercado de trabalho. A Copa do Mundo vai influenciar muito na geração de empregos dessas cidades?
- O fato de está crescendo mais ou menos, não quer dizer que seja efeito da Copa. É o momento, a Copa é uma variável importante, e o crescimento pode ser ou pode não ser por conta da Copa do Mundo.