Translate

domingo, agosto 10, 2014

Grand Prix de Badminton do Rio chega ao seu último dia sem presença de brasileiros na final

Mesmo eliminados os brasileiros fizeram história no
Grand Prix de Badminton Rio 2014 (Foto: Mírian de Sousa)
 
No penúltimo dia de competição do Yonex Grand Prix Brasil de Badminton, que está sendo realizado no ginásio de desportos da Aeronáutica, no Campo dos Afonsos, na Zona Oeste do Rio, os atletas da seleção brasileira disputaram duas semifinais, dupla mista e dupla feminina. Em disputas concorridas, os alemães garantiram vagas em todas as semis que jogaram, e chegam ao último dia de competição como favoritos. Na parte da manhã a comissão técnica e atletas brasileiros tiveram uma visita especial. Crianças que treinam Badminton em dois municípios do estado participaram de uma clínica, treinando com os profissionais.


Apesar da derrota, os brasileiros avaliaram bem a participação na competição, Alex Yuwan Tijong diz que o foco agora deve ser nos jogos Panamericanos, que acontece no Canadá no ano que vem. “A nossa participação no torneio foi boa, chegamos até a semifinal, mas não saímos tão satisfeitos deste jogo, não era o placar que a gente esperava. Agora temos que treinar para as próximas metas como os Jogos Panamericanos no Canadá”, disse Alex.


Lohaynny Vicente, que disputou duas categorias no Grand Prix, também avalia bem o trabalho da seleção brasileira. "Tivemos uma boa participação, mesmo sem ter conquistado vaga na final. Chegamos longe e temos que treinar para avançar mais nos próximos torneios”, disse a atleta.


Disputa de duplas

Abrindo o dia de competição, a dupla mista brasileira classificada para as semifinais perdeu os três sets para a dupla da Irlanda. Lohaynny Vicente e Alex Yuwan Tijong fizeram, respectivamente, 9, 1 e 2 pontos. Os irlandeses estão classificados para a final contra os alemães Carla Nelte e Max Schwenger, que derrotaram os suíços Joachim Persson e Sabrina Jaquet.

A primeira semi de dupla feminina foi disputada entre as alemãs Carla Nelte e Johanna Goliszewski e as americanas Eva Lee e Paula Lyn Obanana. As alemãs ganharam no desempate, por três sets a dois, garantindo a Carla sua segunda vaga em final no Grand Prix. A alemã está animada para as disputas deste domingo, e também pelo fato de estar no Rio, sede das Olimpíadas de 2016. “A cidade é demais e poder estar aqui vendo a preparação para os jogos olímpicos tem sido bem legal. Estou muito feliz de chegar em duas finais neste torneio, é uma grande conquista” disse a jogadora. 

Fechando as semis de duplas femininas, as irmãs brasileiras Lohaynny e Luana Vicente perderam para as irmãs búlgaras Gabriela e Stefani Stoeva.

No primeiro jogo de duplas masculinas, os alemães Matijs Dierickx e Freek Golinski jogaram contra os belgas Raphael Beck e Andreas Heinz, e levaram a  melhor. Na outra semifinal, os americanos Joshua Magee e Sam Magee perderam para os alemães Max Schwenger e Josche Zurwonne.


Disputas individuais

Na primeira rodada de jogos individuais, o irlandês Scott Evans derrotou o sueco Henri Hurskainen por três sets a zero. O segundo jogo da categoria foi entre cubano Osleni Guerrero que jogou contra o alemão Dieter Domke, que chegou a cinco sets para desempate. O alemão avançou para a final vencendo o último set por 11 a 4.

Nas semis femininas, a japonesa Sayaka Sato e a norte americana Beiwen Zhang fizeram um jogo difícil e a norte americana levou a melhor, virando o jogo e ganhando os três últimos sets. “Foi um jogo difícil e bem cansativo. Gosto do jogo rápido e a Sato é muito forte, foi difícil passar por ela, mas estou muito feliz de ter conseguido e estar na final agora”, disse a atleta. A segunda vaga da final foi disputada entre a japonesa Kaori Imabeppu e a suíça Sabrina Jaquet. A oriental venceu a disputa.

Clínica com projetos de Badminton do Rio

Antes do início das competições, no ginásio da Aeronáutica, no Campo dos Afonsos, Rio de Janeiro, o treinador da seleção brasileira da Badminton, Marco Vasconcellos, esteve reunido com crianças de projetos de Badminton de dois municípios do Rio de Janeiro, para a realização de um treino especial. “É um prazer enorme estar aqui e treinar essa garotada. É muito bom ver que existem projetos como estes, que iniciam as crianças ao esporte. Para nós, que somos a referencia para eles, é importante ensinar e estar aqui recebendo as crianças. Essa participação nos dá ânimo para competir aqui no Rio”, disse o treinador.

A clínica de Badminton contou com a participação dos projetos Badminton na Escola e J. Freitas. “Todos os nossos alunos sonham em ser um Daniel Paiola e uma Lohaynny Vicente. É emocionante para eles estar aqui, poderem assistir os jogos e treinar com eles. As crianças adoraram, é importante para o nosso crescimento, da mais vontade para eles”, comentou Andréa Rodrigues, do Projeto Badminton na Escola.