Translate

sexta-feira, setembro 27, 2013

Unilever Vôlei inicia temporada em busca de recordes e título inédito

Já campeão da Copa Brasília Unilever se apresentou
para a nova temporada (Foto: Divulgação/Unilever Vôlei)


Equipe mais vitoriosa do vôlei feminino brasileiro, o Unilever Vôlei inicia sua décima temporada no Rio de Janeiro (a equipe jogou no Paraná de 1997 a 2004) com muitos desafios pela frente. O primeiro deles é chegar ao decacampeonato do Estadual, já no final de setembro. Depois, o time comandado por Bernardinho, tentará o inédito título do Mundial de Clubes, de 9 a 13 de outubro, na Suíça, e ainda a Copa do Brasil, prevista para janeiro de 2014, além do nono triunfo na Superliga 2013/2014, que terá seu início no dia 1 de outubro.
 
“Este ano completaremos dez temporadas no Rio de Janeiro e temos certeza de ter feito a escolha certa. O Unilever Vôlei se tornou o time mais vitorioso da história do voleibol brasileiro e pode, agora em outubro, se tornar a melhor equipe do mundo. Seria um belo presente para o Rio de Janeiro e para o Brasil’, afirma o vice-presidente de vendas da Unilever, Julio Campos. “A Unilever possui uma relação próxima com o Rio desde que chegou ao Brasil, há 84 anos. A cidade sempre foi um dos nossos principais mercados e abraçou muitas de nossas marcas. Temos um enorme carinho pela cidade e acreditamos que esse é o lugar ideal para o Unilever Vôlei”, completa.
 
Para 2013/14, a campanha de comunicação será baseada em uma expressão que une técnico, jogadoras e torcida: o grito. Assim, o lema “Nosso coração não bate, grita!” será o guia de diversas ativações ao longo da temporada, apresentando o Unilever Vôlei como um time campeão movido pelo grito.
 
Para conseguir brigar pelo lugar mais alto do pódio em todas as competições, o Unilever Vôlei manteve a base do time. A grande novidade do elenco é a ponteira sérvia Brankica Mihajlovic, uma das estrelas da seleção de seu país. Além dela, também chegaram as meios de rede Natasha e Carol. Permaneceram na equipe as levantadoras Fofão e Roberta; as ponteiras Gabi, Amanda e Regiane; as meios de rede Valeskinha e Juciely; as opostas Bruna e Sarah Pavan; e as líberos Fabi e Juju.
 
“Temos a Valeskinha, recém-operada, que, apesar da sua ótima recuperação, vai levar um tempo para estar 100%. Trouxemos então as meios de rede Natasha e a Carol para ajudar nesta função, junto com a Juciely. O mais importante é ajustarmos as peças o quanto antes, pois teremos competições difíceis”, disse Bernardinho.
 
Grande novidade no calendário do Unilever Vôlei neste ano, o Mundial de Clubes já está em pauta na equipe. Em busca de um título inédito, Bernardinho e equipe sabem que terão pedreiras pela frente.
 
 “O Mundial será um grande desafio. Sem dúvida será muito equilibrado. Participarão uma equipe da Turquia (Vakifbank Istanbul), que é uma verdadeira seleção, com jogadoras de vários países, um time da China (Guangdong Evergrande), que é muito forte e comprova
o crescimento do voleibol chinês, o Volero (Zurich), clube da casa, que conta com muitas estrangeiras... Teremos partidas de alto nível e será um grande teste para a principal competição do ano, que é a Superliga”, afirmou o treinador.
 
Participam ainda do Mundial o Kenya Prisons, campeão africano, e o Iowa Ice, dos Estados Unidos, representando a Norceca (América do Norte e Central).
 
Bernardinho aponta a Superliga como o principal campeonato do ano para o Unilever Vôlei. Em busca do nono título, o representante do Rio de Janeiro terá mais dificuldade que nos últimos 10 anos.
 
“O melhor desta edição é que não teremos uma polarização em cima de Unilever e Osasco, com alguns coadjuvantes. É claro que as duas equipes possuem condições de serem finalistas novamente, mas Campinas montou um time capaz de brigar em igualdade de condições assim como Uberlândia, que tem uma equipe muito forte e vai chegar também entre as primeiras. E ainda tem o Sesi... Eu diria que essas cinco equipes partem um pouco na frente das outras. Brasília pode se inserir neste grupo, visto a qualidade e a experiência de suas jogadoras. Sem dúvida, irá incomodar. A competição será de alto nível e com muitas surpresas”, analisou Bernardinho.
 
Foto:Divulgação/Unilever Vôlei
Mudanças no calendário
Caso conquiste o título da Copa Brasil, o Unilever terá mais um desafio nesta temporada: o Sul-Americano de clubes, que tem previsão de realização para fevereiro de 2014. Se levar o bicampeonato da competição, mais jogos pela frente. A edição 2014 do Mundial Interclubes será realizada em maio, de acordo com a nova data da Federação Internacional de Voleibol (FIVB).
 
Campeonato Estadual
Nesta quinta-feira (26.09), o Unilever Vôlei entrará em quadra oficialmente, pelo Campeonato Estadual. O primeiro confronto da equipe será diante da UFRJ, no ginásio do Fluminense, nas Laranjeiras, às 19h. Caso avance, a equipe comandada por Bernardinho disputará a final, domingo (29.09), às 20h30, no ginásio do Tijuca.