Translate

terça-feira, março 25, 2014

Bicampeãs nacionais, Ágatha e Bárbara Seixas lutam pela coroa de Rainha da Praia em Ipanema

Fotos: CBV
Uma semana depois de conquistarem o bicampeonato do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, a paranaense Ágatha e a carioca Bárbara Seixas estarão de volta à quadra no próximo final de semana, mas dessa vez de lados opostos. Primeiras colocadas no ranking nacional, Ágatha e Bárbara são os destaques da 16ª edição do torneio Rainha da Praia, tradicional competição individual disputada anualmente nas areias de Ipanema, no Rio de Janeiro.

Pelo sistema da competição, as oitos atletas mais bem colocadas no ranking nacional são divididas em dois grupos e disputam, no sábado, partidas de set único ao lado de cada uma das três companheiras de chave. A melhor atleta de cada grupo avança à decisão, que é realizada no domingo em melhor de três sets. Para o jogo decisivo, as finalistas poderão escolher com quem formarão dupla, excluindo sua parceira original. Na edição 2014 do Rainha da Praia, Bárbara está no Grupo A, ao lado de Talita, Maria Elisa e Carol. Ágatha disputa uma vaga na chave B com Taiana, Juliana e Maria Clara.

A edição deste ano marcará o retorno de Ágatha à disputa pela coroa. Em 2006, em sua única participação, a paranaense ficou entre as quatro finalistas, mas acabou superada pela então parceira Shaylyn.

“Estou muito feliz por poder voltar ao Rainha da Praia. Minha única participação foi muito marcante para mim. É um torneio super gostoso de jogar, porque é a única oportunidade que temos de jogar ao lado das nossas adversárias de todos os outros torneios. Encaramos o torneio com seriedade, mas ao mesmo tempo o clima é bastante descontraído”, comenta a bicampeã nacional.

Bárbara, de 26 anos, também irá para sua segunda participação na competição. Depois da estreia, no ano passado, a carioca espera dar um passo adiante e chegar à final da competição disputada nas areias de Ipanema.

“O Rainha da Praia é um torneio muito bacana e extremamente desafiador, onde a regularidade e a capacidade de adaptação são fatores muito importantes. No ano passado, apesar de não ter chegado à final, foi muito proveitoso ter passado por essas situações. É fundamental estar focada nas ações individuais e vou tentar estar o mais concentrada que eu puder”, avalia a canhota.