Translate

sábado, março 15, 2014

Brasileiro fica em 28º no snowboard para amputados nos Jogos Paralímpicos de Sochi

O paulistano Andre Cintra, 34 anos, estreou nos Jogos Paralímpicos de Sochi na manhã desta sexta-feira, 14 (madrugada no Brasil), na prova de snowboard cross, realizada no Rosa Khutor Alpine Center. O brasileiro terminou em 28º lugar geral (entre 33 competidores) e em terceiro em sua classe (entre cinco atletas). Esta é a primeira vez do Brasil em uma edição dos Jogos de Inverno. O outro atleta do país na Rússia, Fernando Aranha, faz sua última prova do esqui cross-country (10km) no domingo, 16, dia do encerramento da competição.
O snowboard cross estreou nos Jogos de Sochi como parte da programação do esqui alpino. Na Rússia, a prova da modalidade reuniu apenas atletas amputados de membros inferiores. As duas classes desta categoria competiram juntas: AK (sigla em inglês para amputação acima do joelho) e BK (amputação abaixo do joelho). No total, desceram pela pista 28 atletas BK e cinco AK, incluindo o brasileiro, que teve a perna direita amputada acima do joelho aos 18 anos, devido a um acidente de moto. Por ser a estreia, não havia distinção de classe para efeito de resultado final, o que beneficiou os snowboarders BK, por terem uma articulação a mais para manobrar a prancha.
Cada atleta desce o percurso por três vezes, sozinho. Exclui-se o pior tempo e a soma dos dois melhores define o vencedor. Na primeira descida, Andre caiu por três oportunidades e finalizou o trajeto com 1min37s17. Já na segunda, saiu-se melhor com 1min23s09. Mas atingiu sua melhor marca na terceira apresentação, com 1min18s98, diminuindo em quase 20 segundos seu tempo. No fim, o brasileiro somou 2min42s07 e terminou à frente de cinco atletas, sendo três BK e dois AK. Os outros dois competidores AK da prova, o alemão Stefan Losler e o francês Patrice Barattero, ficaram em 22º e 16º, respectivamente.
“Estou com uma sensação muito boa. A coisa mais importante era trazer a bandeira do Brasil para cá pela primeira vez. É claro que também podemos melhorar. Na minha primeira descida, estava muito nervoso. Vi os melhores do mundo caindo. Na segunda e na terceira, o corpo estava mais quente e mais rápido. Já sabia onde estava errando e como podia consertar”, contou. “Mas achei um bom resultado, ficar em terceiro entre os AK.”
O pódio da prova teve três norte-americanos, todos BK: Evan Strong, ouro (1min43s61), Michael Shea, prata (1min44s18) e, Keith Gabel, bronze (1min47s10). Amigo de Andre e de Christopher Jason Koeppe, treinador norte-americano do brasileiro, Evan Strong, 27 anos, comentou sobre a dificuldade que atletas como Cintra (da classe AK) têm nas provas unificadas. “Ter os dois joelhos, como eu tenho, te dá mais controle. Os AK são mais desafiados durante o trajeto. Mas o snowboard estreou agora nos Jogos. Acredito que, em breve, teremos provas mais equilibradas”, disse o campeão, que amputou a perna esquerda abaixo do joelho também por causa de um acidente de moto.
Apesar de praticar diversas modalidades, o primeiro contato de Andre com o snowboard foi há quatro anos. Para se adaptar, comprou uma prótese especial e, a partir de 2009, começou a competir. O brasileiro foi o primeiro atleta do país a conseguir se classificar para os Jogos Paralímpicos de Sochi. Em abril de 2013, ele chegou à 18ª posição no ranking que garantiu 32 snowboarders na Rússia.
Nesta quarta-feira, em Sochi, ele contou com a torcida in loco dos irmãos mais novos Felipe e Marina Cintra, e da tia Mariza Pereira. Emocionados, eles ganharam atenção especial do brasileiro após a prova. “Acho que toda esta comoção da minha família tem um motivo especial. Quando perdi minha perna, meu pai ficou muito mal. Eu gostaria muito que ele e minha mãe estivessem aqui para ver tudo isso. Na época do acidente, eles ficaram preocupados que eu não tivesse uma vida normal ou boa. E, agora, anos depois, estou em um dos melhores lugares do mundo”, comentou Andre, chorando. O atleta perdeu os pais ainda jovem.
Além do snowboard, cinco provas do esqui alpino estão no programa dos Jogos de Sochi: Downhill, Super-G, Super Combined, Giant Slalom e Slalom. Os Jogos Paralímpicos de Sochi serão disputados até domingo, 16 de março.