Translate

quinta-feira, abril 10, 2014

A eliminação dos cariocas e a necessidade da modernização

   
Ilustração
Por
Raphael Pessanha
Flamengo e Botafogo foram eliminados da Taça Libertadores 2014 (o Fla após derrota de 2x3 em pleno Maracanã e o Bota na Argentina levou um sonoro 3x0 do San Lorenzo) e levantaram uma questão que já é discutida há tempos nas mesas de bares, trabalho, clubes... por que os times cariocas não estão indo longe no torneio internacional mais importante das Américas? As respostas são inúmeras, desde a má administração(que é alvo de muitas críticas) até a possível permanência de um ritmo mais cadenciado(que se via até os anos 80) agregado a falta de uma boa estratégia tática em campo.

    Flamengo com 12 participações encabeça os 4 grandes do RJ(1981, 1982, 1983, 1984, 1991, 1993, 2002, 2007, 2008, 2010, 2012 e 2014) tem uma conquista, em 81, mas coleciona desclassificações em casa,as últimas foram em 2007 quando o rubro-negro carioca perdeu no Uruguai para o Defensor Sporting por 0x3 e foi eliminado em casa com uma vitória por 2x0 sobre os uruguaios, em 2008 o urubu conseguiu o que muitos achavam impossível, venceu o América do México por 2x4 em pleno Estádio Asteca e na volta, levou 0x3 no Maracanã, em 2010 o Fla passou pelo Corinthians nas oitavas mas caiu nas quartas para o Universidad do Chile com derrota em casa por 2x3 e vitória fora por 1x2(o agregado ficou em 4x4, mas os 3 gols sofridos no em casa fizeram a diferença) em 2012 a equipe carioca saiu ainda na primeira fase, quando até fez o "dever de casa" com vitórias sobre Emelec e Lanús no Engenhão(1x0 e 3x0 respectivamente) e empate com o Olimpia(também no Engenhão) por 3x3, mas fez apenas 1 ponto longe do Rio(1x1 com Lanús, Olimpia e Emelec pelo mesmo placar de 3x2) ficando em 3° com 8 pontos, já neste ano, o Mengo ficou novamente em 3° na fase de grupos após derrota no último jogo contra o León por 2x3 com bom público no Maracanã.

    O Vasco da Gama com 8 participações(1975, 1980, 1985, 1990, 1998, 1999, 2001 e 2012) também já levantou a taça em uma oportunidade,1998, vencendo o Barcelona de Guayaquil(EQU) por 4x1 em jogo agregado(2x0 em casa e 1x2 no Equador)e tem duas participações nos anos 2000, em 2001 foi eliminado nas quartas para o Boca Juniors por 0x1 no Brasil e 3x0 na Argentina, em 2012 o clube da Colina caiu novamente nas quartas para o campeão daquela edição, o Corinthians, empatando no Rio por 0x0 e perdendo em São Paulo por 1x0.

    O Fluminense tem 6 participações(1971, 1985, 2008, 2011, 2012 e 2013) sendo 4 delas a partir dos anos 2000, em 2008 chegou a final contra a LDU Quito(EQU) perdendo nos pênaltis por 1x3 após dois empates, derrota por 4x2 no Equador e vitória por 3x1 no Maracanã, em 2011 o Flu foi eliminado nas oitavas pelo Libertad, venceu o jogo de ida no Rio por 3x1 mas deixou a desejar no Paraguai perdendo por 3x0, no ano seguinte o tricolor das Laranjeiras tirou o Internacional de Porto Alegre nas oitavas, mas não passou do Boca Juniors nas quartas, os argentinos arrancam empate por 1 a 1 no fim do jogo no Engenhão e já haviam vencido por 1 a 0 na Bombonera passaram as semifinais, já em 2013 a Máquina Tricolor enguiçou no Paraguai, após empate sem gols em São Januário o Flu foi derrotado por 2x1 em Assunção saindo nas quartas.

    O Botafogo dos 4 grandes clubes cariocas, é o time com menos presenças em edições de Taça Libertadores(1963, 1973, 1996 e 2014). O Alvinegro carioca após 16 anos longe da competição, ressurgiu em 2014 ficando na última colocação em seu grupo(Unión Española 9, San Lorenzo 8, Independiente del Valle e Botafogo 7) com duas vitórias e uma derrota em casa, já longe da sua torcida, teve mau desempenho ao obter apenas 1 ponto em duas derrotas e um empate.

     Podemos ver que dos anos 2000 para frente, os times cariocas tem apresentado boas atuações na Libertadores da América, porém não conseguindo alcançar a maior glória do torneio, que é a conquista da taça. O mundo se modernizou e o futebol acompanhou essa modernização, já os clubes do Rio de Janeiro parecem ultrapassados, pois não evoluíram tática, técnica, física e financeiramente demostrando a falta de uma eficiente e transparente administração para uma melhor estrutura interna.