Translate

sábado, abril 05, 2014

Após eliminação André Heller anuncia aposentadoria

O central André Heller, do Vôlei Brasil Kirin, anunciou sua aposentaria nesta sexta-feira, dia 4. O atleta, de 38 anos, que tem uma história recheada de conquistas tanto por clubes quanto pela Seleção Brasileira, deixará as quadras de voleibol após o fim da Superliga masculina 13/14.


O motivo da aposentadoria.
 
“Tinha planos de jogar até os 40 anos. Porém, em 2012, comecei a sentir uma lesão na articulação esternoclavicular que me limitou muito já na temporada passada. Neste ano, com a chegada importante da Brasil Kirin como patrocinadora do nosso projeto em Campinas, tive a possibilidade de jogar por mais um ano e tentar minimizar as limitações provocadas pela lesão. Fiz de tudo para que isso acontecesse, com ajuda de médicos, fisioterapeutas, medicamentos e tratamentos alternativos. A lesão me deu uma ‘trégua’ em alguns momentos e pude jogar alguns jogos. Mas, em outros, ela voltou com força e me limitou ainda mais. Não posso ir em frente assim, pois minha qualidade de vida já está sendo afetada”, explicou.

Planos para o futuro e agradecimentos.
 
“A lesão se tornou somente um detalhe na minha decisão, um sinal. Estou com 38 anos e agora parto para outros caminhos. Quero permanecer no esporte, certamente. Gosto muito da área da gestão esportiva e dos bastidores do esporte de alto rendimento. Pretendo terminar o quanto antes a faculdade e me capacitar para, quem sabe, exercer uma nova função no meio esportivo. Também tenho projetos pessoais que quero colocar em prática. Tenho muito a agradecer a todos que me ajudaram em todos esses anos de profissão, principalmente minha família, meus pais, irmãs, esposa e filha”, encerrou Heller, que está cursando Educação Física.

Em seus 24 anos de carreira como atleta profissional, André Heller acumulou passagens por diversos clubes brasileiros, entre eles Frangosul, Ulbra, Minas, Unisul, Medley Campinas e, atualmente, defende o  Vôlei Brasil Kirin. Conquistou o título da Superliga cinco vezes (1993/1994, 1997/1998, 1998/1999, 1999/2000 e 2003/04). Passou ainda quatro temporadas no voleibol italiano, onde defendeu o Itas Diatec Trentino e o Pallavolo Modena.

Vestiu a camisa da Seleção Brasileira durante 12 anos (dois anos pela seleção juvenil e dez pela seleção adulta), com quem foi Bicampeão Sulamericano (1999 e 2005), Hexacampeão da Liga Mundial (2001, 2003, 2004, 2005, 2006 e 2007), Bicampeão da Copa do Mundo (2003 e 2007), Campeão Olímpico – Atenas/Grécia (2004), Campeão da Copa dos Campeões – Japão (2005), Campeão Mundial - Japão (2006), Campeão Panamericano – Rio de Janeiro/RJ (2007), medalha de prata em Pequin (2008) e Bicampeão da Copa América (1998 e 1999).